A dengue é uma doença viral contraída através da picada de um mosquito Aedes aegypti portador do vírus. Atualmente é um dos principais problemas de saúde pública do Brasil.

Todo começo de ano, junto com a chegada do verão, iniciam-se as campanhas de combate ao mosquito da dengue. De acordo com o Ministério da Saúde, os casos registrados da doença até o dia 30 de março de 2019 tiveram um aumento de mais de 300% em relação ao mesmo período em 2018 no país.

Por que a dengue é uma doença perigosa?

Na maior parte das doenças, quando o corpo fica infectado, as taxas de glóbulos brancos (defesas do nosso corpo) e de plaquetas se elevam para combater a infecção.  Quanto mais são produzidos anticorpos, mais os vasos sanguíneos ficam sobrecarregados e são arranhados.

Para evitar que se rompam, o nosso organismo produz mais plaquetas, que são as responsáveis por realizar a coagulação do sangue e cicatrização dos vasos sanguíneos, evitando, assim, hemorragias.

Ao infectar o corpo pela primeira vez (dengue clássica), o vírus da dengue causa uma diminuição considerável nos glóbulos brancos e na quantidade de plaquetas no sangue.  Mesmo não apresentando grandes riscos, existem chances de algumas hemorragias acontecerem.

A dengue hemorrágica ocorre, em geral, quando o corpo é infectado pela segunda vez. As taxas de plaquetas abaixam, porém, acontece um aumento anormal da quantidade de leucócitos. Os vasos sanguíneos se lesionam muito mais e a quantidade de plaquetas não é suficiente para repará-los.

Como a dengue pode afetar a visão?

Embora a dengue clássica seja menos perigosa que a hemorrágica, ainda assim é muito importante consultar um oftalmologista nos primeiros 7 dias do diagnóstico, pois os problemas mais graves de visão são, às vezes, assintomáticos.

De acordo com a oftalmologista Roberta Abdulmassih, do Centro Completo de Oftalmologia – HCO, a demora na busca por tratamento oftalmológico também pode causar distúrbios graves na visão. As principais complicações são:

Neurite óptica

É ocasionada por uma inflamação no nervo óptico que bloqueia a transmissão das imagens formadas no olho para o cérebro.

A doença pode afetar um ou os dois olhos. O sintoma mais frequente é a dor nos olhos que piora ao move-los. Pode ainda provocar perda de visão leve ou grave que é capaz de piorar em até 2 dias. Outra característica é a perda da capacidade de distinguir cores ou distâncias.

Trombose Ocular

Acontece quando a grande quantidade de leucócitos obstrui a veia central da retina ou um de seus ramos vasculares.  A interrupção do fluxo de sangue pode causar hemorragias nos olhos e inflamações.

Os principais sintomas da patologia estão associados à perda ou embaçamento da visão sem apresentar sinais de dor. Normalmente ocorre em apenas um dos olhos. As vezes pode ser uma perda de visão súbita ou mesmo imperceptível.

Derrame Ocular

A grande quantidade de leucócitos no fluxo sanguíneo ocasionados pela dengue pode obstruir os vasos do olho e provocar um derrame ocular. De todos os distúrbios oculares decorrentes da dengue, apenas a hemorragia subconjuntival altera o aspecto do olho, deixando a esclera (parte branca) congestionada de sangue.

“Pode estar relacionada a um trauma e por isso é mais comum entre crianças. Apesar da aparência impressionar, não se trata de um problema grave e desaparece em semanas sem uso de medicação”. – Drª Roberta Abdulmassih.

Em caso de dor nos olhos ou visão turva, a recomendação é consultar um oftalmologista imediatamente, evitando assim que ocorram maiores complicações ou até mesmo sequelas irreversíveis.